quinta-feira, 9 de junho de 2011

Limpeza urbana - desafios! mas uma necessidade

A pesar de todas as campanhas educativas realizadas pelo poder publico e pela comunidade, envolvendo a questão do lixo urbano, ainda percebemos alguns problemas em determinadas áreas do nosso balneário.  A bem da verdade, esta situação de inconformidade também é verificada, com a mesma intensidade, nos demais balneários da Região.
A palavra lixo, derivada do termo latim lix, significa "cinza". No dicionário, ela é definida como sujeira, imundice, coisa ou coisas inúteis, velhas, sem valor. Lixo, na linguagem técnica, é sinônimo de resíduos sólidos de natura orgânicos ou inorgânicos  representado principalmente por materiais descartados pelas atividades humanas.  No entanto, esse material inservível que descartamos deve ter um destino adequadamente apropriado para que não se torne um problema de saúde publica para a comunidade residente.
Entre os mais diferentes lixos que conhecemos,  o domiciliar que é formado pelos resíduos sólidos, procedentes das unidades residenciais, são os que merece uma atenção espécie de todos.  Esse lixo por conter uma quantidade muito grande de matéria orgânica, plástico, lata, vidro, papéis, etc, podem, quando não acondicionado e armazenado corretamente, se transformar numa potencial fonte geradora de contaminação tanto para o meio ambiente, como para as pessoas e principalmente para os animais domésticos que acabam consumindo este material.
A coleta seletiva do lixo também é outra pratica que devemos sistematicamente  incorporar no nosso cotiniano como tarefa diária dentro da atividade doméstica.  Esta prática possibilita a redução de custo  na disposição final do lixo em aterros sanitários ou incineradores. Também possibilita a racionalização de gastos públicos com a remediação de áreas degradadas pelo mau acondicionamento do lixo, além de se transformar numa  fonte geradora de Renda e benefício social.
Taí mais um desafio que devemos assumir para que possamos melhorar ainda mais o espaço que vivemos ou freqüentamos. E para que isso se concretize, é necessário e estratégico  fortalecermos cada vez mais a parceria entre a comunidade e o poder publico, pois só assim é que poderemos construir uma sociedade fraterna, consciente e comprometida com as causas do meio ambiente.
Volpato