quinta-feira, 30 de junho de 2011

Segurança alimentar - uma questão de cidadania

Em se tratando de ingestão de alimentos, todo o cuidado é pouco.  Deve, em qualquer circunstancia, levar em consideração o principio da precaução. Este Princípio afirma que a ausência da certeza científica formal, a existência de um risco de um dano sério ou irreversível, requer a implementação de medidas que possam prever este dano. Devemos sempre  levar em consideração  a ideia de vulnerabilidade do consumidor, segundo a qual, este é, na maioria  das vezes o elo mais fraco no contrato de consumo. É o consumidor final que fica a merce muitas vezes de pessoas ou empresas que não tem nenhum compromisso ou responsabilidade sanitária daquilo que se submete a produzir e comercializar.
Por isso é fundamental que, além do consumidor procurar estar sempre antenado com esta questões de segurança alimentar, a presença do estado que tem o papel  e a prerrogativa do poder normatizador e fiscalizador, é fundamental para poder proporcionar maior segurança ao consumidor final.

O link abaixo traz uma materia publicada pela INICAMP  onde retrata bem esta aquestão. Para acessar é só clicar.
http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/junho2011/ju499_pag2.php